Azedume

DeprimidaAZEDUME

Há sujeito que só se lamenta
seu normal é estar sempre azedo
perto dele ninguém quase aguenta:
é azedume que causa até medo!

Uma pena! Pois esta pessoa
ignora o que a vida lhe ensina:
Ganha mais sendo alguém gente boa,
Que alegria e paz dissemina!

Não aprende. E já cedo começa:
“É um saco ter que ir trabalhar!”
Só reclama. De tudo não cessa
Desde quando acordou reclamar.

E reclama da roupa no armário…
e reclama durante  o café…
e reclama porque tem horário…
só não fala quão chata ela é.

O que mais se ouve dela? “Eu queria…”
“se eu pudesse…” ou “tivesse dinheiro…”
sempre o “se…”, sempre o “se…” https://www.viagrasansordonnancefr.com/viagra-achat/ ”eu queria…”
só insatisfação o dia inteiro.

Como duro gostar de alguém
que possui baixo astral sempre acheter viagra em alta!
Não se alegra com aquilo que tem,
só enxerga o que ainda  lhe falta!

Azedume na voz, na aparência?
Mancha o brilho, o encanto da vida,
dificulta mais  a convivência
da pessoa, que acaba excluída.

Você, acaso está nessa? “Se liga”:
não percorra um caminho tão torto.
Abra os olhos pro encanto da vida
e não seja mais um peso morto.

Se acaso, é um irritador,
Mude o jeito, mas… mude urgente!
Pois quem planta bem-estar, bom humor,
colhe mais do que planta. Experimente!

                          16/03/2006, domingo

 

Sorriso ou lágrima

PassadoJardim_1

              Prefere o video? Clique aqui.

Às vezes ando pelo meu passado
Como num prado com estradas mil,
Ali eu curto como num recreio
Este passeio pelo que existiu.

Passado é algo que já foi futuro,
Presente duro… ou nem se viu passar…
Enfim, presente bem vivenciado
Se faz passado grato de lembrar.

O tempo é como uma bela estrada
Que nos é dada para caminhar,
Se for sofrido, não pense: “é desgraça!”
Já ele passa e um outro há de chegar…

Sorriso ou lágrima pelo passado
É resultado do que for vivido.
Vou cultivando, então, a vida assim
Como um jardim bonito, bem florido.

Por isso, às vezes, ando em meu passado
Como num prado com estradas mil
E ali eu curto, como num recreio,
Este passeio pelo que existiu.

                                               (06/07/2012, Terça-feira de noite)

A Rotina depende de cada um

Imagem

formiga

Farei agora
inda cedinho
igual caminho
de todo dia.
O mesmo ônibus,
mesmas paradas
e arrancadas.
Isso entedia.

Quem vai a pé
faz seu desvio
vai como o rio
pelo seu Rotina_chargetrecho.
Quem vai de carro
suporta a estrada
que desagrada
até o desfecho.

Toda manhã
mesma rotina,
isso abomina
quem vê só abrolhos.
Por outro lado
quem é pra cima
não desanimaRotina_alegria
renova os olhos.

Cada um viaja
ao seu destino
com desatino,
ou ardor expresso.
A vida é aquilo
que também faço:
tanto fracasso
como sucesso!

            Manhã nublada de 26/07/2012. Indo para o trabalho.

 

Acompanhante

São duas horas.
Vejo as ruas desertas da cidade.
A névoa desceu
faz auréola em torno de cada lâmpada vigilante.
Há silêncio
só rompido por algum carro forasteiro.
Tudo dorme
menos a sentinela do amor.
Olho ao lado e alguém dorme,
mas alguém não dorme:
Contemplo
a lâmpada que a névoa não aureolou:
A vida
que despertará da cadência sussurrante quando amanhecer.

                        J.B.Nunes
                        enquanto acompanhante num Hospital