Sexta-feira santa

Sexta Feira da Páscoa é hoje.Cruz passaro
É chamada também “da Paixão!”
Não consigo, por mais que me arroje,
esquecer-me da religião.

Mas, confesso: é pequena a vontade
de https://www.acheterviagrafr24.com/ ir à igreja e com fé celebrar.
Questiono: não tem validade
aqui mesmo eu sozinho orar?

Mas, pergunto também, de outro lado:
Comemora-se algo sozinho?
Não é bem mais gostoso cercado
De pessoas? Com amigos? Com vinho?

Na igreja – prossigo – onde há fé
a união é menor que num jogo,
onde conta a pessoa, o que se é,
não o que tem, o que faz, se é “o” Diogo.

Outro ponto inda diferencia
religião e comemorações:
Nestas, há liame que contagia
que congraça, une os corações.

Na igreja é bem diferente:
Vê-se pouca expressão de harmonia.
A oração pessoal é eloquente,
Mas não a vibração, a alegria.

Numa festa os convivas se falam,
riem, cantam… e assim se festeja,
mas, no culto, lá todos se calam:
Só se fala com Deus na igreja.

Cada um entra e senta quietinho,
finge nem ver quem está a seu lado.
Continua o tempo todinho
Reunido; porém, isolado.

Sabe, quando há uma contradição
na aparência de comunidade?
Cada um ora na solidão
sem ligar pra formar unidade.

O que é mais contundente e não posso
omitir no que estou ponderando,
dá-se após a oração do Pai-Nosso,
quando o padre, então, diz conclamando:

“Dê a paz que nos une e entrelaça!
Cumprimente quem está a seu lado!”
Vejo aperto de mãos, tão sem graça,
que seria melhor não ter viagra sans ordonnance dado!

Porém, se consideram irmãos,
e invocam a Deus como Pai,
mas, lá dentro, inda que dêem-se as mãos,
cada um entra mudo e assim sai.

Há união bem maior que no templo,
entre aqueles que tomam cerveja.
Tire o álcool e servem de exemplo
para os frequentadores de igreja.

Esta união, claro, é inconsistente,
é fugaz, é bem superficial…
Mas, o pior? Ah! Nem essa é presente
nos cantores da união fraternal!

Você pode entender que é implicância
O que passo a indagar, mas não é:
Como pode haver tanta distância
entre os que se acham unidos na fé?

Então, sigo comigo inquirindo:
Vale a pena ir à igreja orar?
E, ao final, eu acabo lá indo,
para a consciência acalmar.

Fui, no sábado santo, e então,
Vi de novo tudo acontecer.
Inda bem que tenho outra razão
para continuar, para crer.

(Terminada no domingo de páscoa ,16/04/2006, 20h45)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *